WhatsApp

Lúpus

Lupus eritematoso Cutaneo

O Lúpus eritematoso discóide, também chamado de lúpus eritematoso cutâneo crônico, é uma doença crônica, autoimune e que afeta o tecido conjuntivo. Atinge geralmente mulheres numa proporção de 3 para cada 1 homem. É mais comum em adultos (entre 20 e 40 anos) mas ocorre também em crianças. Atinge geralmente áreas da pele expostas a luz solar, sendo cerca de 60% na face, mas também aparece em outras áreas expostas ao sol e até no couro cabeludo. Elas começam como manchas vermelhas, com descamação, em geral sem sintomas locais, que crescem lentamente, ficando o seu centro com aspecto de cicatriz e apresentando mudança de cor para marrom ou branca. Há aparecimento de novas lesões ou piora das já existentes com a exposição ao sol. Quando atacam o couro cabeludo, podem resultar em áreas com cicatrizes e consequente perda permanente de cabelos.

Sintomas:
•A erupção referida em cima pode ser permanente ou aparecer e desaparecer de súbito durante anos.
•O aspecto das manchas muda durante o tempo.
•Embora 90,4% sejam lesões em forma de disco, também podem se assemelhar a uma verruga(8,1%), pérnio (1,4%) ou túmida (0,3%).
•Aparecem geralmente na face, nariz ou nas orelhas, mas contudo podem aparecer em outra partes do corpo.
•Em zonas específicas como,por exemplo, zonas escamosas, a erupção pode estender-se degenerando-se no centro e deixando uma cicatriz.
•Nas zonas afetadas ocorre perda permanente de pelos.
•A erupção pode ser acompanhada por um número baixo de eritrócitos e dores nas articulações.
•A mancha geralmente é indolor e apenas coça levemente.
•Pode começar como uma mancha vermelha (mais comum em pessoas brancas) ou mancha marrom (mais comum em pessoas morenas). Com o tempo a mancha pode ficar mais clara e ocorre perda permanente dos cabelos na área.

Prevenção:
•Evitar a exposição solar exagerada, especialmente entre as 10h e as 16h.
•Utilizar sempre protetor solar que proteja simultaneamente contra UVA e UVB.
•Evitar fazer bronzeamento.
•Usar roupas compridas e chapéu.

Tratamento:
O tratamento depende o tempo de diagnóstico, se for feito cedo pode-se utilizar cremes nas erupções pequenas (em fase inicial, portanto) com corticosteróides. Se for feito mais tarde e as manchas estiverem num tamanho considerável pode-se utilizar medicamentos de via oral.

Os principais medicamentos usados são imunosupressivos como ciclofosfamida, anti-maláricos como cloroquina e recentemente começaram a utilizar imunológicos . Outros medicamentos possíveis são acitretina, dapsona, isotretinoína e talidomida. Todos possuem muitos e fortes efeitos colaterais, exceto o  que causa apenas náusea, diarreia e febre.

Tanto a exposição ao Sol, quanto calor e frio excessivo podem aumentar a lesão, agravando a cicatriz deixada no local. Por isso é importante usar protetor solar, roupas compridas e chapéu para o Sol.