Celulite não é propriamente uma doença, mas pode comprometer a aparência da pele na região das nádegas, coxas e toda a área dos quadris.

As mulheres são as mais afetadas, sendo que cerca de 90% delas vão desenvolver este distúrbio ao longo da vida, mas com alguns cuidados e tratamentos específicos é possível evitar seu aparecimento ou reduzi-la consideravelmente.

O que é celulite?

A celulite é um acúmulo de gordura, toxinas e água nas células. Esse acúmulo as torna mais rígidas, fazendo com que, externamente, o visual seja de nódulos e furos na pele. É uma consequência do aumento do tecido fibroso e do endurecimento das células.

Como causa alterações no tecido gorduroso, a lipodistrofia ginoide, como também é chamada a celulite, pode causar desníveis na região, levando ao surgimento do famoso efeito ”casca de laranja”.

Quais são os tipos de celulite?

A celulite pode ser classificada de acordo com a sua gravidade e também ao modo como afeta a pele.

Em relação à gravidade:

Grau I: celulite não visível, apenas interna;

Grau II: celulite visível apenas com a compressão do local afetado;

Grau III: celulite visível e palpável sem a necessidade de compressão;

Grau IV: celulite ainda mais visível devido ao tamanho dos nódulos e furos na pele. Geralmente é dolorosa ao toque.

Em relação ao modo como é desenvolvida e afeta a pele:

Celulite adiposa: esse tipo se desenvolve a partir do excesso de gordura no tecido adiposo, por isso o nome;

Celulite edematosa: esse tipo se desenvolve a partir da retenção de líquidos e costuma ser mais suave que as demais em relação a aparência;

Celulite fibrosa: é o quadro mais severo da celulite e está ligada ao grau IV do problema. Portanto, é dolorosa e compromete as fibras da pele, sendo mais difícil de eliminar.

Conheça as principais causas da celulite.

  • Fator genético: nem toda herança é boa e a celulite é uma prova disso. Muitas pessoas sofrem com a celulite porque essa é uma condição comum entre as mulheres da família;
  • Gravidez: a gestação modifica muito o corpo feminino, desde os aspectos físicos até os hormonais. É muito comum que as celulites surjam nesse período ou se intensifiquem;
  • Problemas de circulação: como dito anteriormente, a celulite é um acúmulo de toxinas nas células. Quando o sangue não tem a circulação adequada, não é possível eliminar e drenar os líquidos das células, aumentando as chances de um quadro de celulite;
  • Sedentarismo: a falta de exercícios físicos contribui para o aumento de celulites, pois quanto menos estímulo o corpo recebe, mais a circulação é prejudicada;
  • Roupas apertadas: as roupas apertadas também prejudicam a circulação e comprometem o sistema linfático, impedindo a expulsão das toxinas das células;
  • Alterações hormonais: assim a gravidez, existem outras alterações hormonais que podem aumentar a retenção de líquidos e toxinas nas células, como o aumento da progesterona com o uso de pílula anticoncepcional, por exemplo;
  • Má alimentação: uma dieta desbalanceada pode prejudicar o metabolismo e aumentar o índice de massa gorda do corpo, levando ao surgimento de celulites.

As alterações do relevo da pele causadas pela celulite.

As lesões elevadas são causadas pelo acúmulo de gordura, cuja tensão dentro do lobo provoca herniações da gordura através da derme que se projetam na superfície cutânea produzindo os diferentes aspectos das lesões elevadas (casca de laranja, queijo cottage e acolchoado).

Não se observa, entretanto, diferença no tecido adiposo das áreas.

elevadas, comparado ao das demais áreas. Além disso, a flacidez

da pele é importante fator agravante da celulite com o passar da

idade, sendo mais visível nas mulheres com mais de 40 anos.

Cuidado com a alimentação!

A má alimentação é fator decisivo para o desenvolvimento da celulite. Além de causar a celulite, existem alguns alimentos que pioram ainda mais o quadro de quem já tem predisposição genética para desenvolver o problema. Por esse motivo é muito importante cuidar da alimentação.

Consulte um nutricionista!

Quais o alimentos que você evitar?

  • Doces industrializados: balas, pirulitos, chicletes e chocolates ao leite. Tudo o que tiver excesso de açúcar aumenta as chances de celulite;
  • Frituras: alimentos fritos são ricos em gordura e, muitas vezes, essa gordura pode ser transformar em trans e saturada, mesmo que seja saudável antes da alta temperatura da fritura. Essas gorduras são extremamente prejudiciais para a saúde e no quesito estético, podem ajudar na formação das celulites;
  • Refrigerante: o refrigerante prejudica a circulação e ainda aumenta o nível de açúcar no organismo, sendo um dos principais inimigos da pele. Além disso, a gaseificação contribui com o inchaço e a falta de irrigação dos tecidos, inclusive a pele.

E quanto aos tratamentos?

Quais são os mais indicados?

Existem vários tratamentos para a celulite, alguns que tratam o problema de dentro para fora e outros que visam amenizar apenas os furinhos e a estética da pele.

O ideal é consultar um especialista. Por meio de uma análise mais criteriosas, que considera seu biotipo, hábitos alimentares e outros fatores, ele indicará o tratamento mais adequado para você.

Principais tratamentos:

1. Vênus Legacy: é o primeiro aparelho com a tecnologia 4D que associa radiofrequência multipolar com campos eletromagnéticos pulsados e a tecnologia Varipulse de sucção controlada. Utilizado no tratamento de flacidez, celulite e melhora do contorno corporal. São realizadas ao menos seis sessões com intervalo de 15 dias;

2. Endermologia: atuando na pele e tecido adiposo promove melhora circulatória, drenagem linfática, ruptura das bandas verticais pela ação de levantamento dos tecidos nas manobras, gerando amaciamento da pele, melhora da flacidez e diminuição da celulite;

3. Subcision: é feita na gordura subcutânea seccionando os septos que separam os lóbulos de gordura e conectam os músculos à derme reticular. Estimulam a formação de tecido de preenchimento à partir dos hematomas formados. Redistribuição da gordura nos espaços;

4. Sculptra/Radiesse: bioestímulo de colágeno utilizado para melhorar a celulite associada a flacidez. São realizadas em torno de três sessões com intervalo de quatro a seis semanas.

5. Cremes que estimulam a produção natural de colágeno: melhoram a circulação, também amenizam os furinhos, desde que sejam aplicados com massagens modeladoras e drenagem linfática.

Como reduzir e prevenir a celulite?

  • Opte por uma alimentação saudável;
  • Beba uma grande quantidade de água diariamente para melhorar a circulação sanguínea;
  • Diminua a ingestão de sódio, que pode causar retenção hídrica;
  • Evite alimentos gordurosos e muito doces;
  • Evite o fumo;
  • Pratique atividades físicas: os exercícios melhoram a circulação sanguínea, além de reduzir a gordura corporal e diminuir as medidas, o que pode atenuar o problema.

Gostou de saber mais sobre o assunto? Compartilhe com seus amigos!

Fontes: Redalyc, Biosante e Sociedade Brasileira de Dermatologia.

plugins premium WordPress