O que fazer para ter uma pele radiante na estação mais fria do ano?

Além do frio intenso, o inverno costuma causar danos à sua pele se ela não for bem cuidada. Por isso, tratá-la especialmente neste período é importante para evitar algumas doenças como dermatites e psoríase e, ao contrário do que parece, o inverno é uma excelente época para realizar procedimentos estéticos! Isso acontece porque nesta estação estamos mais livres dos danos que o excesso de sol causa, favorecendo os tratamentos.

Quer saber como ter uma pele perfeita no inverno e livre de doenças?

Leia este post até o final!

Porque o frio é ruim para a pele?

Durante o inverno, a umidade do ar baixa e as temperaturas mais frias levam à diminuição na transpiração corporal. Esses fatores fazem com que a pele fique mais seca. Além disso, nesta época, é comum tomarmos banhos mais quentes, que provocam uma remoção da oleosidade natural de forma mais intensa, diminuindo o manto lipídico que retém a umidade da pele.

Junto com o frio vêm as doenças de pele típicas do inverno.

Durante o inverno, algumas doenças podem aparecer por causa do ressecamento da pele. Entre elas, a dermatite seborreica, a dermatite atópica, a psoríase e a ictiose:

  • Dermatite seborreica: ocorre principalmente nas regiões que contenham pelos, como face e couro cabeludo. É uma descamação da pele causada pela desregulação sebácea. As manifestações mais frequentes são caracterizadas por intensa produção de oleosidade, descamação e prurido (coceira). A descamação pode causar caspa, que varia desde fina até a formação de grandes crostas aderidas ao couro cabeludo, a seborreia. A coceira, que pode ser intensa, é um sintoma frequente nesta região e também pode estar presente com menor intensidade nas outras localizações.
  • Dermatite atópica: quem sofre de atopia pode apresentar também asma ou rinite alérgica. O principal sintoma é a coceira, que pode começar antes mesmo das lesões cutâneas se manifestarem e pode atingir a face, tronco e membros. Na infância, as lesões são avermelhadas e escamam. Nos adolescentes e adultos, as lesões localizam-se preferencialmente nas áreas de dobras da pele, como a região posterior dos joelhos, pescoço e dobras dos braços. A pele desses locais torna-se mais grossa, áspera e escurecida.
  • Psoríase: doença da pele relativamente comum, crônica e não contagiosa e que atinge igualmente homens e mulheres, principalmente na faixa etária entre 20 e 40 anos. Fenômenos emocionais são frequentemente relacionados com o seu surgimento, provavelmente atuando como fatores desencadeantes de uma predisposição genética para a doença. Mas a real causa da psoríase ainda é desconhecida.
  • Ictiose vulgar: aparece após o nascimento, geralmente no primeiro ano de vida. Pode apresentar apenas ressecamento da pele e descamação fina ou intensa de aspecto geométrico. As áreas mais atingidas são os membros, podendo afetar também a face e o couro cabeludo. A doença tende a regredir ou a ter seus sintomas minimizados com o passar dos anos.

Dicas para manter a pele hidratada no inverno:

A hidratação da pele é o principal passo da rotina de cuidados no inverno. E, para evitar o ressecamento típico da estação, é fundamental escolher um produto específico para as suas necessidades, que deve ser indicado por um dermatologista.

O melhor horário para aplicar o dermocosmético é após o banho porque é o momento em que a pele fica mais suscetível à absorção. Além disso, os dermatologistas recomendam o uso diário de protetor solar com FPS 30.

Os cuidados incluem também tomar banhos mornos, já que a água quente ajuda a deixar a pele mais seca e ingerir, ao menos, dois litros de água por dia.

Por que fazer procedimentos estéticos no inverno?

Nas estações mais frias, as pessoas se expõem menos ao sol e a incidência da radiação UV também está menor, fazendo com que este seja o momento ideal para realizar procedimentos dermatológicos mais intensos. Por isso, no inverno, são recomendados tratamentos como peelings, preenchimento, lasers, toxina botulínica, além da utilização de ácidos fortes. Para os cuidados pós-procedimentos, a aplicação reforçada de filtro solar e o uso de produtos cicatrizantes e calmantesajudam a revitalizar e hidratar a pele.

Ao realizar um procedimento estético no rosto, a recomendação geral é que você não se exponha ao sol de maneira alguma nem use filtro solar por pelo menos dois dias. Após esse período, a pele ainda estará se recuperando, porém o uso do filtro pode e deve ser retomado, sendo um grande aliado no prolongamento dos procedimentos.

Quais são os procedimentos estéticos mais recomendados no inverno?

Os cuidados com a pele no inverno incluem diversos procedimentos estéticos recomendados pelo dermatologista.

  • Depilação a laser: consiste na remoção dos pelos de forma definitiva, sendo um dos tratamentos mais procurados na atualidade. Pode ser feita em qualquer área do corpo, incluindo pernas, virilha, axilas e buço. A depilação demanda que o paciente não tenha se exposto ao sol. Além disso, os resultados são mais satisfatórios em peles não bronzeadas. Por isso, o ideal é realiza-la no período de inverno, salvo restrições indicadas pelo seu médico.
  • Peelings e dermoabrasão facial e corporal: tanto o peeling químico com ácidos, quanto o peeling de dermoabrasão promovem a descamação e renovação das células, clareiam manchas e melhoram os poros, a realização nesse período do ano é altamente recomendada, evitando manchas e irritações na pele causadas pela exposição solar. 
  • Limpeza de pele: um dos cuidados mais importantes com a pele no inverno é mantê-la limpa e hidratada. Por isso, esse tratamento é uma ótima dica. A limpeza de pele auxilia na renovação de células, no rejuvenescimento e no controle da oleosidade. Com os poros abertos pelo procedimento, a hidratação será ainda mais profunda e o resultado, imediato.
  • Microagulhamento: utiliza diversas microagulhas esterilizadas para micropuncturas e estímulo da formação de colágeno e da vasodilatação da pele, potencializando a permeabilização de substâncias nos níveis mais fundos da derme.
  • Drenagem linfática: as principais indicações incluem a eliminação de inchaço (retenção de líquidos) e de toxinas, por isso está associada a vários tipos de tratamentos corporais, como celulite, gordura, até mesmo flacidez, por melhorar a oxigenação da pele), chegando mais rapidamente aos resultados desejados. A drenagem linfática é uma boa alternativa para mulheres durante o período menstrual ou na menopausa, em tratamento de reposição hormonal, pois ajuda a reduzir o inchaço. As gestantes também se beneficiam porque a retenção de líquidos também costuma ser uma queixa comum e recorrente durante a gravidez. Além disso, a realização da drenagem linfática no pré e pós-operatório também é de extrema importância.

Gostou de saber mais sobre o assunto?

Compartilhe este conteúdo com seus amigos!

Fontes: Derma Clube e Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Você está tendo problemas de pele durante o inverno?

Consulte-nos!

plugins premium WordPress