A psoríase, doença de pele crônica e não contagiosa, é uma inflamação que geralmente acomete a pele, couro cabeludo, unhas e mucosas. Pode ocorrer em qualquer idade, atingir homens e mulheres e, embora exista uma predisposição genética para desenvolvê-la, isso não quer dizer que ela será transmitida ao descendentes.

Assim como outras doenças, a psoríase conta com vários tipos que são classificados de acordo com os sintomas. E um deles é a psoríase gutata. Caracterizada por pequenas feridas em formato de gota, a psoríase gutata é desencadeada por infecções bacterianas e as lesões costumam aparecer na pele do tronco, braços, pernas e couro cabeludo.

Diferente dos outros tipos, a psoríase gutata forma feridas cobertas por uma fina escama. Assim como os outros tipos de psoríase, ela pode acometer pessoas de qualquer idade, mas a psoríase gutata costuma ser mais comum em crianças e jovens antes dos 30 anos.

Confira outros posts:

A psoríase gutata coça?

Sim. Assim como na maioria dos tipos de psoríase, no caso da psoríase gutata a coceira é um dos sintomas para a doença.

Vale lembrar que o aparecimento das lesões pode ser súbito, repentino e algumas pessoas estão mais propensas a desenvolver sintomas, como é o caso de quem tem parentes

de primeiro grau com a doença, diabetes, sobrepeso, pressão alta, colite (um tipo de inflamação no intestino), artrite reumatoide e até depressão

Como tratar a psoríase gutata?

A psoríase é uma doença que não tem cura, mas que é possível tratá-la e evitar a sua reincidência. Tudo vai depender do quadro do paciente. Mas em geral, o uso de medicamentos, sejam eles tópicos ou sistêmicos, é o recomendado. Hidratar a pele e exposição ao sol também estão entre as recomendações.

Porém, é importante lembrar que o tratamento deve ser feito sob rigorosa orientação médica. Somente profissionais habilitados podem diagnosticar doenças e prescrever tratamentos! As informações aqui contidas são meramente educativas.

plugins premium WordPress