Dermatites

A dermatite está entre as cinco doenças mais comuns quando o assunto é pele.

DERMATITE ATÓPICA
O que é: erupções e crostas na face, no couro cabeludo, nas mãos, nos pés, nos braços e nas pernas provocadas por inflamação crônica. A coceira é tão intensa que há risco de a pessoa se ferir e infectar as lesões. Mais comum em portadores de asma e de rinite alérgica.

Causas: todos os estudos apontam para a genética.
•Banho quente e atrito da toalha podem ressecar a pele e provocar lesões.
• O estresse agrava o problema, fazendo surgirem novas feridas e mais coceira. A dermatite atinge mais de 3,5 milhões de brasileiros.

Tratamento: cremes ou pomadas à base de corticoides; anti-histamínico oral contra coceira; antibióticos orais se houver infecção; exposição à luz ultravioleta combinada com doses orais de psoraleno; imunomoduladores de uso local.

Novidades: a descoberta de um fator imunológico, um desequilíbrio das células de defesa presentes entre a pele e a epiderme, alterou a abordagem da doença. Surgiram imunomoduladores, como pimecrolimus (em 2003) e o tacrolimus (em 2005), que permitem melhor controle do quadro.

DERMATITE SEBORREICA
O que é: inflamação da pele que produz vermelhidão, coceira e descamação nas áreas de maior concentração de glândulas sebáceas no corpo: em torno do nariz, nas sobrancelhas, atrás da orelha, na face e no peito. No couro cabeludo, pode acarretar a incômoda caspa.

Causas: “Não esclarecidas”
•Clima seco e alterações hormonais pioram os surtos.
•Estresse elevado deflagra os episódios. Essa dermatite atinge 18% da população mundial, a maioria entre 18 e 45 anos.

Tratamento: xampus à base de enxofre, piritionato de zinco e cetoconazol, loções capilares com ácido salicílico, resorcina, ureia e cetoconazol, com ou sem hidrocortisona, além de prescrição de anti-inflamatórios e antifúngicos via oral. Laser de baixa frequência pode ser usado como coadjuvante no tratamento para reduzir a coceira e a descamação.

DERMATITE DE CONTATO
O que é: inflamação da pele resultante do contato direto com substâncias que causam reação alérgica ou inflamatória. Ocorre mais comumente nas mãos, braços e face. Causando coceira na pele e formação de bolhas que podem estourar formando crostas e descamações. Se a pele não for tratada, poderá escurecer ficando grossa e rachada.

Causas:
•Contato com substâncias que podem ser irritantes. Exemplo: ácidos, materiais alcalinos como sabonetes, detergentes, solventes e outras substâncias químicas.
•Exposição a um determinado material ao qual a pessoa seja hipersensível ou alérgica. Exemplo: fragrância, adesivos, cosméticos, etc.
•Reação a uma substância a que a pessoa seja exposta ou utilize repetitivamente. Neste caso, o indivíduo não precisa necessariamente apresentar uma reação inicial.

O uso repetitivo pode causar uma eventual sensibilização e a reação ao produto (removedores de esmalte para unhas, preservantes usados nas soluções para lentes de contato, metais dos pinos de brincos ou a parte posterior dos relógios).

Tratamento: evitar o contato com a substância que desencadeou a reação, além de medicamentos que aliviam os sintomas. O quadro inflamatório deve ser tratado com o uso de corticóides tópicos ou sistêmicos dependendo da gravidade.

A aplicação de cremes hidratantes nas peles secas aumenta sua resistência. Em caso de infecção secundária, faz-se a administração de antibióticos e para aliviar a pruridermia, anti-histamínicos. Geralmente a dermatite de contato desaparece depois de duas ou três semanas, mas podem recorrer se o antígeno não puder ser identificado ou evitado.