Queridinho do momento no mundo do skincare, o ácido hialurônico é o principal preenchedor utilizado hoje. O corpo humano fabrica esta substância, capaz de manter as formas e contornos, mas essa produção cai com o passar dos anos. Por isso, as aplicações nos consultórios podem ser a solução para dar mais elasticidade, firmeza e viço à pele, além de reduzir as linhas de expressão.

Quer saber mais?

Siga em frente com a leitura que este conteúdo que traz informações importantes sobre o assunto, ajudando você a entender mais sobre os benefícios do ácido hialurônico para a sua pele.

Como o ácido hialurônico age na pele?

Os preenchedores de ácido hialurônico são realizados em combinação com outros procedimentos para melhorar o resultado final, como o uso de toxina botulínica, lasers e peelings. O ácido hialurônico ajuda a manter a sustentação e a hidratação da pele, evitando a flacidez, as linhas e sinais de expressão, preenchendo e mantendo a pele hidratada, viçosa e revitalizada. O grande benefício é que, por ser um componente natural do nosso organismo, ele não é rejeitado pela pele.

Após a aplicação do produto, a área pode ficar levemente avermelhada e inchada. Alergias, gestação, amamentação, doenças prévias e uso de medicação rotineira devem ser informados ao médico. O risco de alergia é raro.

Por que usar o ácido hialurônico na rotina de skincare?

Naturalmente, a nossa pele é rica em ácido hialurônico, mas com o envelhecimento natural perde-se uma quantidade significativa dessa substância, resultando no ressecamento, diminuição da elasticidade, falta de volume e formação de rugas. Assim, a melhor forma de recuperar esses danos ou prevenir que eles aconteçam é fazer a reposição do ácido hialurônico.

Quais os tipos de ácido hialurônico?

Cada região do rosto necessita de uma densidade específica do produto. Com isso, é possível alcançar um resultado mais natural e leve.

Atualmente, existem basicamente 4 ácidos distintos:

  • Alta densidade: utilizado em áreas de projeção óssea que necessitam de estruturação e efeito lifting, como malar, mento (queixo) e mandíbula;
  • Média densidade: aplicados em áreas intermediárias, como sulcos (depressões como o bigode chinês) e no nariz, para rinomodelação;
  • Baixa densidade: áreas mais delicadas, como olheiras, rugas finas e lábios necessitam de ácidos de baixa densidade;
  • Hidratação: ácidos cujo objetivo é hidratar o local onde será aplicado. É possível aplicar em praticamente toda a face e pescoço.

Quais as contraindicações?

São raras, podendo ser utilizado em todos os tipos de pele, por gestantes e lactantes e em peles com rosácea.

O preenchedor usado no Brasil desde o final da década de 80 é bastante seguro. Estudos mostram que menos de 0,3% dos casos apresentam reações persistentes. Outra vantagem é que não necessita de teste prévio, pode ser realizado com pomada anestésica e os resultados são imediatos.

Está ficando cada vez mais interessante, não?

Tem muito mais! Continue lendo!

Confira os principais benefícios:

1. Hidrata a pele

Da mesma forma que a perda de ácido hialurônico causa o ressecamento, a sua reposição ajuda a hidratar a pele, deixando-a mais saudável, elástica e viçosa.

2. Ajuda a reter a hidratação já existente na pele

Outra vantagem da reposição do ácido hialurônico é que, além de hidratar a pele, ele ajuda a reter a água já existente na pele, prevenindo a perda de hidratação por conta das agressões externas, como raios UV, mudanças climáticas, banhos muito quentes, entre outros.

3. Suaviza rugas e linhas de expressão

Sendo responsável, em conjunto com o colágeno e elastina, pela sustentação e firmeza da pele, a reposição de ácido hialurônico ajuda a diminuir a profundidade de rugas e linhas finas já existentes na pele, ao mesmo tempo que previne o aparecimento de outras novas.

4. Tem ação preenchedora e antiflacidez

Por possuir ação volumizadora, o ácido hialurônico também é eficaz contra a flacidez da pele! Tanto usado em dermocosméticos quanto em preenchimento, ele ajuda a redefinir os contornos da face e a redensificar regiões que perderam volume, como olheiras profundas ou bochechas “caídas”.

5. É usado em procedimentos de harmonização facial

Como ativo preenchedor, o ácido hialurônico também pode beneficiar as proporções do rosto, num procedimento que está ganhando cada vez mais popularidade: a harmonização facial. Através de injeções de ácido hialurônico, é possível, temporariamente, alinhar um nariz torto, minimizar sulcos como olheiras ou rugas, demarcar um maxilar pouco proeminente, entre várias outras coisas.

6. Ameniza marcas de acne

Sabe aqueles “buraquinhos” deixados pela acne na pele? Essas marcas, chamadas de cicatrizes atróficas, podem ser minimizadas com o uso de dermocosméticos com ácido hialurônico, graças às suas propriedades volumizadoras, especialmente quando o tratamento for associado a sessões de microagulhamento. Além disso, ele também pode ser usado em aplicações intradérmicas para atenuar os sulcos de forma mais localizada.

Qual a diferença nos tratamentos com ácido hialurônico e toxina botulínica?

Ambos os tratamentos apresentam excelentes resultados de acordo com a orientação de um especialista.

O ácido hialurônico pode ser indicado quando há perda óssea ou de gordura e o toxina botulínica para correções no músculo. A toxina botulínica costuma durar de quatro a seis meses, dependendo do produto utilizado, da quantidade, e das características de cada paciente. Em músculos que trabalham muito, a duração é menor do que naqueles que ficam em repouso. Essa regra também vale para o ácido hialurônico, mas os resultados são mais duradouros. Enquanto os menos concentrados duram de 12 a 15 meses, os produtos com maior concentração podem chegar a durar dois anos, afirma o dermatologista.

Outra diferença é que a reaplicação do ácido ocorre em doses menores. Já o botox, para manter o efeito, precisa ser reaplicado por completo, e o tempo mínimo de espera entre uma aplicação e outra costuma ser de quatro meses.

Em alguns casos, o ácido hialurônico e a toxina botulínica podem ser recomendados para um mesmo tratamento.

Gostou de saber mais sobre o assunto?

Compartilhe este conteúdo com seus amigos!

Fontes: Sociedade Brasileira de Dermatologia, Derma Clube, MD Manuals e Unijuí.

Você gostaria de amenizar marcas de expressão na sua pele?

Consulte-nos!

plugins premium WordPress